Vídeo que mostra agressão sexual por máfia no Egito causa indignação

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br


“Nossa luta está longe de terminar e devemos admitir que a violência sexual contra as mulheres no Egito continua sendo um grande problema”, escreveu ela. As respostas ao vídeo haviam exposto “muita misoginia”, ela adicionado. “Muitos homens – e mulheres – estão afirmando que sua roupa era inadequada e poderia ter provocado os homens”.

Uma pesquisa de 2017 de dois grupos que promovem a igualdade de gênero, Promundo e ONU Mulheres, constatou que o assédio sexual é galopante nas ruas do Egito, principalmente nas áreas urbanas.

Mais de 60% dos homens egípcios relataram na pesquisa que haviam assediado sexualmente uma mulher ou menina na rua, e mais de três quartos dos homens entrevistados citaram o vestido “provocativo” de uma mulher como uma razão legítima para o assédio. E em um estudo realizado em 2013 pela ONU Mulheres, 99,3% das mulheres e meninas egípcias em uma pesquisa disseram ter sido vítimas de algum tipo de assédio sexual, de avanços indesejados a estupros.

Omran disse que a proliferação de câmeras de segurança no Cairo pode ter ajudado a desencorajar algumas agressões sexuais na cidade, mas o problema permanece comum em festivais e outras grandes reuniões públicas. Ela disse que as autoridades civis e legais da sociedade egípcia ainda precisam levar o assunto mais a sério.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

“Acho importante ressaltar que esse tipo de comportamento não muda da noite para o dia”, disse ela.

A polícia do presidente Hosni Mubarak, o homem forte que governou o Egito por quase três décadas, manteve em grande parte a agressão sexual fora dos olhos do público. Mas depois que uma revolta popular derrubou Mubarak durante a Primavera Árabe em 2011, a questão se tornou pública, sua prevalência em manifestações expondo a escala do problema.

Leia Também  Coronavírus: África não testará terreno para vacina, diz OMS

No dia em que Mubarak foi demitido, uma correspondente da CBS News, Lara Logan, foi atacada e agredida sexualmente por uma multidão enquanto cobria as comemorações na Praça Tahrir, no Cairo.

E, em um caso que chamou atenção internacional, um vídeo gráfico publicado online em 2014 mostrou a agressão sexual em massa de uma mulher, também na Praça Tahrir, durante as comemorações da vitória eleitoral do presidente Abdel Fattah el-Sisi. Um mês após o ataque, nove homens foram condenados a longos períodos de prisão sob a acusação de agressão sexual.

Nada Rashwan contribuiu com reportagem.



cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *