O poderoso chefe militar da Argélia, Ahmed Gaid Salah, morre

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

[ad_1]

Ahmed Gaid Salah,

Direitos autorais da imagem
Getty Images

Legenda da imagem

Ahmed Gaid Salah avançou com as eleições presidenciais, apesar de um boicote da oposição

O chefe militar da Argélia, Ahmed Gaid Salah, conhecido por pedir que o líder veterano Abdelaziz Bouteflika renuncie, morreu aos 79 anos, segundo a mídia oficial.

Um dos últimos veteranos da guerra da independência de 1954-62 contra a França ainda no poder, o general Salah morreu de ataque cardíaco.

Bouteflika, que governou desde 1999, renunciou em abril após protestos em massa, deixando o general Salah como líder de fato.

A oposição está pedindo que todo o antigo regime deixe o poder.

O general Salah foi substituído pelo general Said Chengriha como chefe do exército e três dias de luto foram anunciados.

  • Como o exército da Argélia sacrificou um presidente para manter o poder
  • Milhares protestam contra eleições

O general Salah desempenhou um papel importante na organização das eleições presidenciais de 11 de dezembro, boicotadas pela oposição, dizendo que eram necessárias para evitar que o país caísse.

A eleição, disputada entre cinco candidatos intimamente associados a Bouteflika, foi ganha pelo ex-funcionário público Abdelmadjid Tebboune, que foi apelidado de "escolhido" nas mídias sociais por ser visto como próximo ao chefe do exército.

Qual era o papel do general Salah?

Os protestos começaram em fevereiro, depois que Bouteflika anunciou que iria concorrer à reeleição.

Foi o chefe militar que anunciou em 26 de março que o artigo 102 da Constituição – permitindo a remoção do presidente por motivos de saúde – deveria ser aplicado, o que resultou na renúncia de Bouteflika.

Direitos autorais da imagem
Reuters

Legenda da imagem

Ahmed Gaid Salah (R) foi visto como líder de fato após a renúncia de Bouteflika

Mas os manifestantes continuaram pedindo a remoção das pessoas ao redor do presidente, incluindo o próprio general Salah.

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br

Como líder de fato, o general Salah rejeitou as demandas da oposição por reformas profundas, a criação de instituições de transição e o desmantelamento do regime.

Desde a independência, o exército tem sido o verdadeiro centro do poder na Argélia, arbitrando conflitos entre facções entre políticos e interesses comerciais, formando e destituindo presidentes.

O próprio Bouteflika foi levado à presidência em 1999 por um grupo de generais que haviam iniciado uma guerra brutal contra insurgentes islâmicos militantes desde 1992.

O general Salah, chefe do exército desde 2004, foi uma figura central nesse sistema.

Uma morte que provavelmente impactará o presidente

Análise por Ahmed Rouaba, da BBC Africa

Abdelmadjid Tebboune foi eleito com a menor participação de todos os tempos e precisará do apoio do novo chefe interino do exército para levar o país adiante e superar o maior obstáculo – protesto popular.

Para se envolver com os manifestantes, que ainda rejeitam sua eleição, o Sr. Tebboune prometeu realizar as reformas necessárias para atender às suas demandas, incluindo o combate à corrupção entre os poderosos e a elite.

Ele ainda será capaz de cumprir suas promessas e encontrar um diálogo com os manifestantes para deixar todo o país para trás?

A morte inesperada do general Salah certamente afetará o presidente Tebboune, que perdeu um grande apoiador em sua tentativa de levar o país adiante e superar a crise política.

Quem foi o general Salah?

  • Nascido em 1940 na região de Batna, 300 km (186 milhas) a sudoeste de Argel
  • Juntou-se ao Exército de Libertação Nacional aos 17 anos e lutou contra as forças coloniais francesas
  • Após a independência, em 1962, frequentou a academia militar soviética e subiu de categoria
  • Chefe de forças terrestres durante a guerra civil contra insurgentes islâmicos na década de 1990

Você também pode achar interessante:

O poderoso chefe militar da Argélia, Ahmed Gaid Salah, morre 1

A reprodução de mídia não é suportada no seu dispositivo

Legenda da mídiaRaja Meziane: "Eu nunca imaginei que iria sair do meu país, mas precisava."

[ad_2]

cupom com desconto - o melhor site de cupom de desconto cupomcomdesconto.com.br
Leia Também  Coronavírus: noiva e noivo sul-africano presos por casamento confinado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *